O QUE É O SISTEMA ENDOCANABINÓIDE?

O sistema endocanabinóide é um sistema biológico presente não só no corpo humano mas também noutros animais, que foi descoberto durante as décadas de 80 e 90 e sobre o qual ainda existe muito desconhecimento nos dias de hoje. Sabe-se que é um regulador homeostático fundamental no corpo humano e que desempenha um papel em quase todos os sistemas fisiológicos no nosso corpo1. O sistema endocanabinóide é maioritariamente composto por:

  • Endocanabinóides: que são as moléculas que se vão ligar aos recetores de canabinóides e ativá-los (denominados neurotransmissores retrógados). Estão presentes nas membranas celulares e são sintetizados apenas nas quantidades necessárias. Os principais endocanabinóides são a anandamida e o 2-araquidonoilglicerol ou 2-AG.
  • Recetores de canabinóides: que são um tipo de proteínas que estão presentes na superfície das células. Estes recetores monitorizam as condições no exterior das células e sempre que estas se alteram (perda de homeostase), enviam sinais para o interior das mesmas para que seja dada uma resposta celular adequada. Os dois principais recetores de canabinóides são os CB1, que se encontram maioritariamente presentes no sistema nervoso central em particular no cérebro, e os CB2, mais abundantes fora do sistema nervoso, maioritariamente no sistema imunitário.
  • Enzimas metabólicas: é através destas enzimas que os endocanabinóides são usados apenas quando são necessários, quebrando-os noutros componentes após o seu uso. As principais enzimas são as FAAH (Fatty Acid Amide Hydrolase, ou hidrolase da amida dos ácidos gordos), que quebram a anandamida, e as MAGL (Monoacilglicerol Lipase), que quebram o 2-AG.2

É através desta tríade que o sistema endocanabinóide ajuda a regular uma grande variedade de funções, como a aprendizagem e a memória, as emoções e o humor, o sono, o apetite e o metabolismo, os comportamentos de adição, a dor e a neuroprotecção3,4. Basicamente, o sistema endocanabinóide entra em cena sempre que surja algo que altere as condições normais de uma célula. Através da ação dos endocanabinóides (produzidos apenas quando necessários), dos recetores de canabinóides (aos quais os endocanabinóides se ligam para emitir o sinal necessário para o interior da célula) e das enzimas metabólicas (que quebram os endocanabinóides após o seu uso), é possível manter a homeostase.

  1. Viveros M, de Fonseca F, Bermudez-Silva F, McPartland J. Critical role of the endocannabinoid system in the regulation of food intake and energy metabolism, with phylogenetic, developmental, and pathophysiological implications. Endocrine, Metabolic & Immune Disorders-Drug Targets 2008; 8(3):220-30.
  2. Silva S, et al. Sistema Endocanabinóide – Intervenção Terapêutica: Solução ou Ilusão? Revista Portuguesa de Diabetes. 2009; 4 (3): 120-125.
  3. https://www.fundacion-canna.es/en/endocannabinoid-system
  4. https://www.leafly.com/news/science-tech/what-is-the-endocannabinoid-system
pt_PTPortuguese
Role para cima

Contacte-nos